segunda-feira, 17 de maio de 2010

As BENÇÃOSDO DEUTERONÔMIO 28. Parte 1

As BENÇÃOS do Deuteronômio 28.

Respondendo ao internauta W. e a outros seguidores que solicitaram comentário acerca do modismo do Deuteronômio 28, posto aqui, algumas sugestões e comentários que poderão auxiliar e dirimir pequenas dúvidas.

A palavra "bênção' (gr. eulogia) encerra o significado de : a) uma dádiva divina que faz prosperar o trabalho do crente (Dt 28.12); b) a presença divina conosco (Gn 26.3); c) a dotação de força, poder e ajuda divina (Ef 3.16; Cl 1.11); d) Deus operando em nós e através de nós para realizar o bem (Fp 2.13). No Antigo Testamento , o termo "benção" ocorre mais de 400 vezes. A primeira coisa que Deus fez no tocante ao homem, foi abençoá-lo (Gn 1.28). A vida ou a história do povo de Deus podem estar sob a bênção ou a maldição (Dt 11.26ss).

No Novo Testamento , a obra total de Cristo pode ser resumida na expressão: Deus o enviou para abençoar (At 3.26) Vemos Sua bênção outorgada às crianças (Mc 10.13-16) e aos seus seguidores quando Ele partia da terra Lc 24.50,51). A bênção divina era uma realidade bem presente no ministério dos apóstolos (Rm 15.29).

A bênção de Deus é condicional, dependendo do Seu povo, o qual opta pela bênção, ao obedecer a Deus ou pela maldição, ao desobedecer (Dt 30.15-18; Jr 17.5,7). Como recebemos a bênção do Senhor?

  1. Olhando sempre para Jesus e buscando Sua bênção sobre o nosso ministério, trabalho, vida e família (Hb 12.2);
  2. Por meio da fé, do amor e da obediência diante dEle (cf. Mt 5.3-11); 24.45,46; Ap 1.3;16.15;22.7;
  3. Por sua graça, removendo da nossa vida tudo quanto possa impedir a bênção divina (Hb 12.1; Ef 4.22; Rm 13.12.

A bênção de Deus pode não estar relacionada a lucros materiais pessoais e à ausência do sofrimento na vida do crente (Hb 11.37-39; Ap 2.8) . Jacó enriqueceu, usando de astúcia e trapaça (Gn 30.31-43).

Não sou contra as bênçãos do Senhor, seja em quaisquer épocas. Aconselho que você não creia em tudo o que é dito, profetizado ou ensinado, antes de uma avaliação bíblica e uma busca através do discernimento do Espírito. É comum a leitura em Deuteronômio 28, e muitas pessoas "profetizando" na vida de outros sobre as bênçãos decorrentes deste capítulo. É benção para mais de metro. Virou, já de muitos, jargão citar o versículo dois "E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão..." E Então ouvimos: "Aqui as bênçãos correm atrás dos crentes!". Que fatídico! Não sou contra! Observemos que quando alguém não conta a aquisição de um carro, casa, outro bem, terreno, dinheiro na conta, ou uma vitória, tendemos pensar que falta fé ou a pessoa está em pecado ou, na pior das hipóteses quem recebeu a suposta bênção é "melhor" do quem não a recebeu. As bênçãos de Deuteronômio 28, não é especificamente para a igreja, mas para Israel, já que a promessa está ligada a terra.É evidente que o propósito de Deus, sempre é o de abençoar seu povo, sua igreja, seus filhos, entretanto, consideremos que promessas e profecias são abundantes na Bíblia. Deus dá muitas garantias da sua prontidão para abençoar e normalmente fala de coisas que planeja fazer no futuro. Em ambos os casos sempre há condições: o chamado de Deus para nos alinharmos à sua vontade, de modo que a sua palavra de promessa possa abençoar o obediente.

Este é um exemplo clássico de profecia prenunciativa. Ela serve para ensinar e advertir e instruir rumo à obediência e à vida frutífera. Ela nunca é dada para suscitar a curiosidade ou promover suposições. Em Mateus 24, por exemplo, Jesus faz várias promessas sobre coisas que acontecerão, mas fala aos seus discípulos que o seu objetivo é apenas eliciar respostas prática de vida obediente. (v42), não fazendo suposições sobre a possível data de acontecimentos futuros (v.36).

Outro versículo muito recitado, desejado e decretado é o 13 "E o SENHOR te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo..." somente a parte "a" como também o versículo 2 já citado acima. Que falácia!! Em primeiro lugar, esta promessa é para o povo de Israel que vivia sobre a dispensação da Lei. Foi a última promessa antes de o povo entrar na Terra de Canaã. Isso é hoje uma verdade cumprida na vida de Israel. Israel é cabeça e não calda, país rico em abundância.

Se desejarmos voltar a estar debaixo do julgo da Lei (posto que não há como extrair do Antigo Testamento só o que nos interessa), devemos cumprir outros mandamentos dela, não somente este. Vejamos Deuteronômio 21.18 -21: "Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos, Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar; E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão.Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá". Em segundo lugar, as bênçãos de Deuteronômio são condicionais, isto é: Estabelece uma postura, exigência, decisão e atitudes a serem tomadas para o verdadeiro cumprimento dela na vida de Israel. No versículo um a condição é "SE" ouvires a voz de Deus e guardar os seus mandamentos. Israel para receber as bênçãos, era necessário estar atento à voz de Deus e pronto a guardar os seus mandamentos. Existe uma infinidade de SE nas Escrituras, a maior parte expressando definitivamente as condições sobre as quais Deus abençoará os homens. Nenhuma aliança, promessa, promessa ou bênção incondicional pode ser encontrada na Bíblia.

Mesmo que estas bênçãos fossem prometidas para a igreja em especial, a condição era ouvir e guardar. Somente campanhas não seriam necessárias, sete, dez ou cem dias de campanhas não seriam suficientes. Quantas pessoas enroladas, desobedientes e sem compromissos estão fazendo campanhas, decretando e determinado as bênçãos de Deuteronômio em suas vidas? Além da aplicação do texto ser errada, a condição exigida é ignorada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário